Comandante, Bombeiros e Directores

Presença dos Bombeiros no Altar

Elementos do Quadro de Honra

Decorreu no passado domingo, dia 16 de Janeiro, os festejos do 80º aniversário da A.H.B.V. Canas de Senhorim. Este ano teve como ponto alto o baptismo de uma nova viatura, uma ambulância preparada para todo o tipo de emergências e transporte de doentes, oferecida pela Fundação Lapa do Lobo.

João de Jesus Pinto Marques, Comandante dos Bombeirosde Canas fez o balanço dos acontecimentos mais significativosde 2010, destacando as graves catástrofes naturais, Recordo que a primeira foi o tsunami no oriente, depois o terramoto no Haiti, a que se seguiram as enxurradas na Madeira e, agora, as inundações na Austrália e também as enxurradas no Brasil onde lamentou a perda de centenas de vidas. Referiu que, a natureza continua a mostrar-nos quanto é bela mas também quanto é impiedosa e, por vezes, imprevisível lançando a dor onde e quando menos se espera. Temos por isso que ser solidários e vigilantes.
Fez uma analise aos meios que tem á disposição, os materiais estão velhos e são escassos; os humanos, sempre insuficientes, são cada vez menos.
Ser solidário e vigilante impõe grandes sacrifícios, correndo-se o risco de, por vezes, ter de se abdicar do convívio familiar, com alguma emoção, referiu: como foi o caso da noite da consoada em que muitos de nós só conseguiu conviver com a família nessa santa noite, já o calendário apontava o dia seguinte, o dia de Natal.

Bombeiros em Formatura

Quanto ao futuro, lançou um apelo à população face à cada vez menor capacidade de mobilização para a causa do voluntariado e não vislumbrando melhorias imediatas, mais uma vez vos exorto a colaborarem connosco incentivando os vossos jovens familiares, a ingressarem na nossa nobre associação.
No balanço do ano, efecturam 3485 serviços, 820 dos quais durante a noite, destacando-se 134 Incêndios, 36 acidentes, 884 emergências médicas e 1797 transportes de doentes não urgentes, tendo sido percorridos 294641 Kilómetros.
Como certamente recordarão, muitos e grandes foram os incêndios ocorridos no nosso distrito tendo participado no combate de um número significativo e, num deles, a evolução traiçoeira das chamas quase surpreendia a nossa equipa, deixando a viatura bastante danificada pelos efeitos das chamas.
Também a nossa área operacional que comporta as freguesias de Canas, Lapa do Lobo, Aguieira, Carvalhal Redondo, Moreira e uma parte de Santar, foi fustigada por alguns incêndios, quase todos com o seu início durante a noite, com particular destaque para o que ocorreu na encosta do rio Mondego, junto à povoação de Vale de Madeiros e, não fora a nossa rápida e musculada intervenção rapidamente reforçada por meios da corporações vizinhas e até por um grupo de reforço oriundo da região de Lisboa, poderia ter-se repetido a tragédia de há 5 anos atrás em que toda a vegetação daquela bonita encosta foi devorada pelas chamas.
Ainda salientou os “trabalhos invisíveis” que uns ignoram e outros esquecem e, por isso, por ser da mais elementar justiça, gostaria de aqui testemunhar o importante trabalho da protecção civil municipal, presente em quase todas as ocorrências, não só a nível dos seus técnicos como também da vereação, tornando possível com uma rapidez assinalável, colocar os meios de apoio necessários que tornaram, nalguns casos, a nossa missão bem mais fácil e bem sucedida.
Também o apoio Logístico é importante, em especial nas grandes ocorrências e nesse particular, a nossa direcção foi inexcedível, garantindo a alimentação quando se mostrou necessária ou simplesmente oferendo uma refrescante e sempre bem-vinda bebida fresca.
Falou ainda dos dias bem difíceis para todos nós. Os cortes orçamentais impostos pelo Governo trarão certamente novas realidades com a redução de serviços.
Um recente despacho do governo que obriga os doentes não urgentes a pagarem os transportes de ambulância se não tiverem insuficiência de rendimentos irá certamente provocar constrangimentos financeiros em Associações como a nossa.
Por fim, convidou todos a rezar por eles, porque como diz um amigo “Sabemos que vamos mão não sabemos que regressamos”; e pediu ainda para rezarem por todos aqueles que fizeram parte desta Associação e que já partiram para a terra dos justos, e que não pretendemos esquecer.

Ambulância oferecida pela Fundação Lapa do Lobo

Em nota final convidou ainda todos os presentes a, no final da celebração da missa a assistir à bênção da nova ambulância que foi totalmente oferecida pela Fundação Lapa do Lobo a quem ficaremos eternamente gratos e para a qual invocamos a bênção divina pela sua generosidade.

Maria do Carmo Moniz da Maia Batalha, Baptiza a ambulância

Placa dos padrinhos da ambulância

Algumas entidades presentes

Entidades presentes

Benção da ambulancia pelo Padre Nuno

Veja mais reportagem aqui

Comentários
  1. […] Artigo em causa é este AQUI pode lêr e não precisa de gastar […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s