25 de Abri? Que 25 de Abril?

Posted: 25/04/2011 in Canas de Senhorim, Comemorações
Etiquetas:,

Não é de agora que eu pergunto.
Será que foi por este Abril que os militares lutaram?

Aqui, parece chegar uma resposta pela voz de Otelo.
Para mim, a sede de poder instituído neste Portugal sem regras, onde a Justiça apenas funciona para quem tem dinheiro, a saúde cada vez está mais longe daqueles que dela necessitam e cada vez mais lhes é negada, por uma injustiça Social que aumenta a um ritmo avassalador. Vou-me interrogando de formas de LIBERDADE a que eu chamo de ROUBO e DESTRUIÇÃO do que resta deste nosso País, mas não encontro respostas.

Quantas pessoas serão precisas a trabalhar para se conseguirem pagar reformas a mais de 5000€?

Porque é que as Câmaras Municipais parecem departamentos Familiares, onde famílias inteiras trabalham para essas mesmas Autarquias?

Porque é que existem chefes de gabinetes, assessores, chefes de chefes e nais chefes, muitos deles sem produzirem, ganhando rios de dinheiro e muitas vezes prejudicando aqueles que trabalham com ordenados de pouco mais de 400€?

Porque é que temos pessoas que viveram apenas da política após o 25 de Abril, estão há 37 anos a saltar de cargo em cargo, de empresa pública em empresa pública, deixando prejuízos atrás de prejuízos, dívidas sobre dívidas, hipotecando o nosso futuro e o dos nossos filhos.

Porque é que todos estes senhores implementaram o clientelismo, o compadrio, o tráfico de influências, a usurpação de puder, estarão eles acima da lei?

Porque é que todos estes senhores que ajudaram a ROUBAR o nosso País, que criaram toda esta INJUSTIÇA SOCIAL, são todos candidatos a governantes, candidatos a Ministros, candidatos a Secretários de Estado, Candidatos a assessores, candidatos a candidatos e mais candidatos…

Será que foi por este Abril que muitos lutaram?
Pedro Ferreira

Otelo: «Não fazia o 25 de Abril se soubesse como o país ia ficar»

Otelo Saraiva de Carvalho ouve todos os dias populares dizerem-lhe que o que faz falta é uma nova revolução, mas, 37 anos depois, garante que, se soubesse como o país ia ficar, não teria realizado o 25 de Abril.

Apesar de estar associado ao movimento dos «capitães de Abril» e aceitar o papel que a história lhe atribuiu nesta revolução, Otelo não esconde algum desânimo.

«Sou um optimista por natureza, mas é muito difícil encarar o futuro com optimismo. O nosso país não tem recursos naturais e a única riqueza que tem é o seu povo», disse, em entrevista à Agência Lusa.

Otelo lamenta as «enormes diferenças de carácter salarial» que existem na sociedade portuguesa. «Não posso aceitar essas diferenças. A mim, chocam-me. Os que se levantam às 5h00 para ir trabalhar na fábrica e na lavoura e chegam ao fim do mês com uma miséria de ordenado?», questiona.

Lêr na integra AQUI

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s