O Auditório Maria José cunha na Fundação Lapa do Lobo, recebeu no passado dia 1 de julho, a apresentação do livro “INTIMIDADES TRAÍDAS”, do professor Acácio Pinto, natural do Satão e deputado na Assembleia da Republica pelo ciclo eleitoral de Viseu.
As primeiras palavras proferidas foram pela Dra. Teresa Abraão, da editora “Edições Esgotadas” de Viseu, que agradeceu e enalteceu o facto do Prof. Acácio Pinto ter escolhido esta editora de Viseu para a publicação do seu livro que já vai na 2ª edição.
Em seguida, foi a vez da Professora Doutora Leonor Cardoso, docente na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação na Universidade de Coimbra, falar um pouco sobre o livro, começou por dar os parabéns à Fundação Lapa do Lobo, pois desconhecia a existência da mesma, assim como as causas que apoiava como o papel tão relevante no acolhimento e no apoia aqueles que por dificuldades de diversa ordem não podem prosseguir os seus estudos nas universidades. Do Professor Acácio Pinto, diz dispensar de apresentações, pois é uma figura pública conhecida por todos, tem uma postura de estadista que se distingue pela sua forma acolhedora como acolhe quem dele se a próxima, uma pessoa que fez um percurso pautado por um desafio permanente, que tem dado de si, nalgumas funções publicas em prol de todos nós, fazendo-o de uma forma um pouco diferente do que é habitual, distinguindo-se daquele que é o perfil que nós vamos construindo dos nossos políticos, nem sempre com um perfil muito positivo nem muito enriquecedor para aqueles que são os nossos políticos, considerando assim o professor Acácio Pinto de diferente.
Quanto ao livro, começou por sublinhar a as palavras do Jornalista Júlio Magalhães, pois foi quem escreveu o prefácio do livro “Intimidades Traídas”, e que apelidou de ousado pelo facto de escrever um livro, ainda que uma ficção, expondo-se à grelha de leitura dos outros, porque este é um livro de emoções, de intimidades de sofrimento e expondo-se a falar de tudo isto, não tem medo e por isso dou-lhe os meus parabéns.
A Dra. Leonor Cardoso, diz-se uma leitora compulsiva, leu o livro numa tarde, também disse que podia ter lido o livro em menos tempo, mas o mesmo obrigava-a a parar, porque algumas partes deste livro “são pontapés, e são socos na alma”, além do livro estar muito bem escrito pois não emperramos na forma para aceder ao conteúdo, é um livro que como a Dra. Leonor Cardoso gosta, usa e abusa da metáfora, é um livro que tem romance, intriga, crime, sexo, entre outros ingredientes, tem tudo.
No final da apresentação, a Dra. Leonor disse que após a maneira como apresentou o livro, “vocês devem estar espantados, mas é mesmo assim, este livro mexe com as pessoas que o leem”, …querendo olhar para ele com olhos de ver, também podemos ler na superficialidade, podemos ler sem que ele nos toque, mas o desafio que deixou foi que “leiam o livro deixando que ele vos dê um murro na alma como me deu a mim e que vos conduza às vossas próprias reflexões, ao vosso próprio olhar para dentro,…”
Após estas palavras sobre o livro, tomou da palavra o professor Acácio Pinto, que após rasgados elogios e agradecimentos ao Dr. Carlos Torres e a toda a estrutura da Fundação Lapa do Lobo, por todo o trabalho, apoio e atividades prestadas pela Fundação. Agradeceu também à Dra. Leonor Cardoso pela excelente apresentação do livro, dando uma dimensão diferente daquilo que foram todas as outras apresentações deste livro, tendo pegado no livro com uma perspetiva diferente, ficou comovido com as palavras da Dra. Leonor. Agradeceu à editora Edições Esgotadas de Viseu e aos presentes no auditório, maioritariamente pessoas dos concelhos de Nelas e Carregal do Sal, Agradeceu também a nível institucional a presença de vereadores dos dois municípios que se associaram a esta iniciativa de âmbito cultural, salientou que estavam ali não por nenhuma questão politica e partidária, embora a politica esteja envolta em tudo como se sabe mas o momento é basicamente cultural.
Quanto ao livro, a Dra. Leonor Cardoso pegou nele numa forma muito profunda, o livro efetivamente tem partes da vida, todos nos temos momentos das nossas vidas onde somos confrontados com muitos problemas e neste livro estão retratados vário deles, desde os assédios, deficiências, prostituição, solidão, tudo isso são problemas com que nos confrontamos no dia a dia. Pegando na expressão “um murro na Alma” para Acácio Pinto é tentar interpelar aqueles que o lerem para que possam, refletir, avaliar e analisar como as suas circunstâncias o permitiram e daí permitiram também construir o que são os seus objetivos de vida.
No final desta apresentação, ainda houve perguntas da assistência, seguidas de um Dão de honra no pátio da Fundação Lapa do Lobo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s